Barão e Visconde de Mauá Vida e Obra

                                                                                                                 Renato Alencar Dotta
Historiador do Museu Barão de Mauá

Gaúcho de Arroio Grande, nascido em 28/12/1813, Irineu Evangelista de Souza, órfão de pai aos 9 anos, foi levado para o Rio de Janeiro pelo tio materno. Lá passa a trabalhar como caixeiro do comerciante português João Rodrigues Pereira de Almeida, e anos depois, como guarda-livros do negociante escocês Richard Carruthers. Esses estabelecimentos serviram como verdadeiras escolas de economia e negócios para Irineu.
Adquirindo seu próprio estabelecimento, Irineu torna-se um rico comerciante. Com boa parte da fortuna adquirida começa a investir em algo inimaginável no Brasil agrário de então: a indústria. Seu primeiro empreendimento nesse ramo é a Fundição Ponta de Areia, em Niterói, adquirida em 1845, que produzia tubos para a canalização do Rio Maracanã e para a construção de navios a vapor.
Com o objetivo de financiar esse e outros projetos, Irineu torna-se banqueiro: em 1851, organizou, com um grupo de acionistas, o segundo Banco do Brasil.
Continuando seus empreendimentos, o empresário inaugura, em 1854, o serviço de iluminação a gás do Rio de Janeiro. No dia 30 de abril desse ano, o imperador D. Pedro II faz a primeira viagem de trem no Brasil, num trecho de 14 km da Estrada de Ferro de Petrópolis (na qual é seu principal acionista) entre a estação Porto Mauá e a estação de Fragoso, na província do Rio. Nesse mesmo dia, o imperador nomeia Irineu, Barão de Mauá.
No ano seguinte, o Barão de Mauá torna-se deputado geral suplente pelo Partido Liberal. Em 1857, ele seria eleito de fato. No mesmo ano, criou a instituição financeira Mauá, MacGregor & Cia., que teve filiais em várias cidades brasileiras, além de Londres, Paris, Nova York, Buenos Aires e Montevidéu.
Mauá teria responsabilidade em outro grande desafio ferroviário: a construção de uma estrada de ferro que ligasse o litoral paulista ao interior da província, que transpusesse a Serra do Mar. As obras começaram em 1860. Mauá, contudo, vende suas ações em 1863, antes da conclusão das obras, que se daria em 1867, com o nome de São Paulo Railway. Nesse ano de 1867, fundou o Banco Mauá, que funcionou até 1878.
Outras ferrovias que Mauá investiu foram a Recife & São Francisco Railway Co., a Bahia & São Francisco Co. (ainda em 1853) e a Estrada de Ferro do Paraná (em 1871).
Outros empreendimentos que realizou foram: a organização da Companhia de Abastecimento de Água do Rio de Janeiro em 1874 e, nesse mesmo ano, a inauguração do serviço de cabo telegráfico submarino que ligava o Brasil à Europa, que motivou o imperador D. Pedro II, a nomeá-lo Visconde.
Nos últimos anos de sua vida, em que entrou em processo de falência, escreveu dois livros: O Meio Circulante (1878) e Exposição aos Credores e ao Público (1879), espécie de auto-biografia. Convidado ao famoso Baile da Ilha Fiscal - o último a ser realizado no Império - não compareceu, falecendo alguns dias depois, em 21 de outubro de 1889.
Share on Google Plus

Sobre Alex Mauá

Esse texto foi trazido até você pela Equipe Mauá Memória a cidade Ontem e Hoje, ajude nosso trabalho divulgando nosso site ou enviando fotos antigas, notícias da cidade e coisas que acontecem no seu bairro entre em contato: mauamemoria@gmail.com