Série Bairros: Jardim Oratório


Jardim Oratório
 por: Severino Correia Dias Professor de História. 

Bairro Jardim Oratório. A área que conhecemos hoje como Jardim Oratório, era uma antiga fazenda do oratório. Há registros de 1.883, quando a família Cardoso Franco ocupava estas terras que conhecemos,como Vila Santa Cecília, Bairro de Capuava. Depois veio a pertencer ao antigo Instituto de Aposentadoria e pensões dos Industriais. (IAPI). Nestas terras era conhecido como fazendinhas, no local existiam três casas históricas e cocheira (CAPOAVA) ocupava 105 alqueires (+ ou - 361.160 mil metros quadrados). No ano de 1.944 havia extração de Lenha na Fazenda Oratória, no qual era responsável o senhor Naoki Okada. Um pouco mais a frente, Nestas terras tinham um casal no qual tomava conta, Roberto Noim e sua esposa Helena Bozzato, irmã de Guido Bozzato. Roberto trabalhava para o cunhado Bozzato como carroceiro para olaria, até 1.953 quando é fechada a olaria. Roberto é convidado para trabalhar nas terras do antigo IAPI. O que correspondia à entrada do Oratório. Com a necessidade da malha viária Avenida João Ramalho e Avenida Papa XXIII, sentido Parque São Vicente no qual fazia parte das terras. As casas foram derrubadas e os Noim que moravam em uma das casas foram despejados. Em 1.974 ganharam uma casa da prefeitura. Com isto em 1975 começaram as ocupações nos morros do Oratório. Neste momento muitos ocupantes eram da região do grande ABC, e muitos da cidade mesmo, na procura de uma moradia. “Os altos valores dos alugueis fez com que muitos migrassem para Mauá. Em São Caetano do sul nos inicio dos anos 70 houve planejamento Urbano”. Os cortiços foram demolidos. “A única opção de muitos foi Mauá”. A especulação Imobiliária fazia parte deste contexto social, até porque era próximo ao centro, e os valores dos terrenos estavam cada vez mais elevados. Os primeiros documentos de possa foi cedido á partir de 1.982. A comunidade era conhecida como do INAPS (Instituto Nacional de Previdência Social). Houve uma mudança na sigla de IAPI para INAPS. Mas a função era mesma neste período. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em1.981 a comunidade tinha 1.793 moradores. O terreno era de 6x20. Foram distribuídos 15 mil títulos. Neste momento o prefeito era Dorival Rezende e vice era Manoel Moreira. Em dezembro de 1.982 já tinha 2.393 barracos. Segundo Ademir Médici em de Pilar a Mauá em 1.981 os títulos foram entregues em 11 de Novembro de 1982. Em 1.986, 4.479 (Habitações) Barracos. A especulação imobiliária fez crescer as ocupações. Paranaenses, Mineiros, Nordestinos e paulistas do interior faziam parte desta comunidade. Alguns depoimentos de antigos moradores: existiam aqui três depósitos no quais seus proprietários eram Alício seu Odílio, Jorge. Foram estes depósitos que “levantaram” as primeiras casas. O apogeu das ocupações fora em 1.979. Já em 1.981 começaram a vender os barracos, e através destas atitudes por parte de algumas invasões ocorreu uma necessidade de formar uma comissão representativa, é fundado em 18 de Fevereiro de 1.982 a Sociedade de Amigos do Bairro. As famílias que chegavam à procura de moradias tinham seus lotes doados pelos os antigos moradores. Segundo depoimentos de antigos moradores era quase todos dias entre oito a dez nas dez famílias a procura de um teto. No ano de 1.981 energias elétricas já era uma vitória para 338 (Moradias) barracos, água era de poço artesiano, não existia banheiro na comunidade neste momento. Para termos uma idéia da relevância social do Jardim Oratório, daremos uma cronologia do tempo: 1.974 a derrubada das três casas da fazendinhas no qual o Senhor Roberto e sua esposa Helena Noim Ocupavan as terras. Roberto Noim foi funcionário do antigo IAPI. O casal tomava de conta da área, até sua saída das terras em 1.975. A malha rodoviária juntamente com o desenvolvimento econômico de Mauá. 1975 começam as “ocupações” especulações imobiliárias, necessidade de moradia era parte deste contexto social. 1.979 apogeu das “ocupações” (Migrações). Em 1.981 começa as vendas dos barracos, já segundo IBGE tinha 1.793 moradores e 338 casas que recebem energia elétrica. Em 18 de Fevereiro de 1.982 é fundada Sociedade de Amigos do Bairro. Entre oito a dez famílias chegam à procura de moradia. Em 1.986 4.479 habitações. Hoje a comunidade Jardim Oratória tem 25.771 mil habitantes (2012), é a 1º em território demográfico (moradores) e territorial em Mauá, á 4º comunidade do estado de São Paulo em termo de moradia deste porte, é a 21º do país em demografia. São 109 ruas que compõe o Jardim Oratório. E tudo começou com uma fazenda. Seu antigo proprietário nos anos 50 foi Alcântara Machado.
Share on Google Plus

Sobre Alex Mauá

Esse texto foi trazido até você pela Equipe Mauá Memória a cidade Ontem e Hoje, ajude nosso trabalho divulgando nosso site ou enviando fotos antigas, notícias da cidade e coisas que acontecem no seu bairro entre em contato: mauamemoria@gmail.com