O som da Fonte Luminosa


O som da Fonte Luminosa

William Puntschart

A atual Praça 22 de Novembro, no Centro, oferecia aos moradores, pelo menos, três espaços culturais durante as décadas de 60 e 70. A partir da estação de trem, em direção à Avenida Barão de Mauá, o munícipe deparava-se, inicialmente, com a Concha Acústica, destinada a eventos musicais e teatrais, entre outros. Em seguida, ele podia apreciar perto da Fonte Luminosa a beleza da dança das águas, cujos movimentos acompanhavam os ritmos das canções ali tocadas com a cultura milenar oriental, proporcionada pelo Jardim  Japonês.

Construída segundo o projeto paisagístico de autoria de Burle Marx, a Fonte Luminosa tem sua história ligada a diferentes pessoas no município. Destacamos o senhor Antônio de Almeida Souza, antigo funcionário da Secretaria de Serviços Urbanos da Prefeitura de Mauá. Isso porque ele participou ativamente do cotidiano da fonte, desde a sua construção, quando, na condição de guarda municipal, fora designado para fazer plantão no local.

Após um curto período prestando serviços em outros locais, ele retornou à Fonte Luminosa, porém com outra missão: cuidar da parte elétrica e colocar para tocar os discos que a população tanto gostava de ouvir.
Diariamente, das 17h às 22h, o “seu”Antônio atendia as exigências populares, tocando sucessos de Agnaldo Timóteo, Nelson Gonçalves, Roberto Carlos e de toda a velha guarda.
Na época, era permitido a qualquer pessoa levar o disco de sua preferência para ser tocado na Fonte Luminosa. Exemplo dessa atitude conforme lembra seu Antônio, era a presença, quase diária, de um senhor com o LP de Nelson Gonçalves, no qual consta a musica intitulada A volta do Boêmio. Ao ouvi-la, ele olhava para o céu, distanciando-se cada vez mais da realidade que vivia.

Na verdade, assim como o seu Antônio, nós também sentimos saudades daquela época. Não só porque havia maior respeito e consideração entre todos, mas também porque os indivíduos eram mais dignos. Tudo leva a crer que o prazer do seu trabalho era poder perceber, estampada nos olhos das pessoas ali presentes, a viagem de suas almas guiadas pelas canções. Era essa, de fato, a fonte do som na Fonte Luminosa. 

Share on Google Plus

Sobre Alex Mauá

Esse texto foi trazido até você pela Equipe Mauá Memória a cidade Ontem e Hoje, ajude nosso trabalho divulgando nosso site ou enviando fotos antigas, notícias da cidade e coisas que acontecem no seu bairro entre em contato: mauamemoria@gmail.com