Lembranças dos Professores do Viscondão

Autor: Orlando Lisboa de Almeida

Estou falando de final da década de 60 e início dos anos 70.    Muita gente de Mauá-SP passou pelas aulas dos professores dos quais tenho algumas lembranças e alguns episódios.
Professora Elva – História   -  Ela morava em Santo André, se não me falha a memória, era bem dedicada e se empenhava muito para os alunos aprenderem bem a matéria.   O destaque das lembranças foi uma excursão da nossa turma para Serra Negra-SP na qual ela foi como coordenadora para cuidar da moçada.   
Professora Elisa Masaki – Química  -  Era muito querida, apesar de ser exigente com o ensino da matéria.   No final do nosso Colegial, a turma conseguiu a proeza de montar uma excursão para Assunção do Paraguai, graças ao empenho pessoal da Elisa, que foi conosco.  Tempo de comprar calças jeans e levar para o alfaiate readequar a calça para a moda da época com barra meio boca de sino e tudo o mais.    Na excursão me lembro que num restaurante de Assunção nossa turma estava almoçando e uma aluna, ao salgar a salada, o saleiro soltou a tampa e todo o sal caiu no prato dela (da Midori).   Logo ela que era de longe a mais tímida da turma.
     
E a Elisa sabiamente “confiscou” um tanto de dinheiro de cada um que ela achava razoável para a nossa volta (lanches, refeições) e dito e feito:   se ela não tivesse feito isso, não teríamos dinheiro para os lanches da volta.   Sábia mestra!

Professor Moacir Parisi Correa – Português (sumiu meu negrito!). Grande mestre! Conhecia tudo do ramo e tinha um saquinho de pano com pedras de jogo de tômbola (numeradas) para sorteio de alunos para prova oral sobre uma questão valendo ponto ganho ou perdido. Diziam que ele sorteava sempre os números dos alunos que estavam fracos na matéria e tinha uma que chegava a dar murro na mesa em protesto. A Sheila, que não vai me desmentir porque isso faz tempo. Com justiça, foram procurar em Avaré o professor Moacir para uma homenagem nos 30 anos da turma.  

Professor Geraldo Cavalcante, cearense do Crato-CE.    A palavra de ordem dele era o “minha gente!”.    E vai matemática na turma.   Quem sonhava em ser Engenheiro tinha que se virar nos trinta.   E quem não gostava da matéria, a coisa era mais complicada.      Curioso foi o dia que ele descobriu que nosso colega – bastante comunicativo por sinal – Manoel Costa Barros era seu conterrâneo do Crato.   Foi um momento de “reencontro” em termos de saudade da terrinha.

Professora Marli – Inglês. Ela era uma jovem morena, muito bonita e simpática, além de muito competente. Tinha sido uma pessoa esforçada, que conseguiu ir ao exterior para aprimorar o idioma. Dava o depoimento de que havendo objetivo e esforço, as pessoas podem conseguir chegar lá, como ela chegou. E valeu o incentivo.

Professor Gilson – Português.   Não tive aula com ele.  Ele foi Diretor do Viscondão por um bom tempo.   Me lembro dos pitos que ele dava de vez em quando na galera, principalmente quando faltava algum professor e o pessoal fazia uma zuada na sala de aula.   Vinha bronca!

Professor Massao Kanashiro – Artes – Eletricidade.    Me lembro que fizemos aulas práticas de montar uns painéis com ligações elétricas em paralelo e em série, se não me engano.   Só os marmanjos tiveram aula da matéria.

Professor de Desenho (não em lembro o nome) Me parece que era de Ribeirão Pires. Um dia ele contou algo curioso que ficou gravado na minha cabeça. Acho que até pela rima e pelo inusitado. Ele disse um dia em aula que morava ao lado de uma igreja evangélica bem simples e o pastor vivia ensinando um hino para o pessoal, que de tanto ouvir por morar próximo da igreja, acabou aprendendo: diria algo como: “Jesuis aprometeu / que havéra de salvá / todo fiel / que o pé da cruiz beijá. Beijemo, rebeijemo / tornemo rebeijá / Porque Jesuis haverá de sarvá.” (não sei por que cargas d´água, se vão 40 anos e não esqueci dessa)!

Saudade de Mauá-SP, do Viscondão e da turma de alunos da época.  Bons tempos!!!



Share on Google Plus

Sobre Alex Mauá

Esse texto foi trazido até você pela Equipe Mauá Memória a cidade Ontem e Hoje, ajude nosso trabalho divulgando nosso site ou enviando fotos antigas, notícias da cidade e coisas que acontecem no seu bairro entre em contato: mauamemoria@gmail.com