História de Mauá - Cronologia 1714 - 2005


Renato Alencar Dotta
Historiador do Museu Barão de Mauá

Séc. XVIII – Construção da sede da Fazenda Bocaina, existente até hoje e ocupada atualmente pelo Museu Barão de Mauá. É uma das construções mais antigas do ABC Paulista.
1714 – Construção da Capela de Nossa Senhora do Pilar, que dará nome a toda a região entre os atuais Mauá e Ribeirão Pires, e hoje pertencente a este município (25/03).
1867 – Inauguração da São Paulo Railway, ferrovia que liga o Porto de Santos a Jundiaí (24/02).
1883 – Inauguração da estação ferroviária do Pilar - atual Mauá (23/04). O primeiro agente da estação foi Samuel Prado.
1896 – Lei estadual Nº 446 cria a escola ambulante entre as estações Rio Grande e Pilar, ou seja, a única professora responsável lecionava um dia em Pilar e outro em Rio Grande (06/08). É a primeira menção à educação na História de Pilar.
1898 – As aulas de Pilar da escola ambulante são suspensas temporariamente devido ao número decrescente de alunos (25/03).
1905 – Criação da 1ª Escola Mista do Sertão dos Beber, atual Sertãozinho (fevereiro).
1909 – O povoado é beneficiado com iluminação a querosene.
- Criação da Capela de Santa Cruz do Pilar, primeiro templo católico do povoado (09/09).
1911 – Nomeação dos primeiros nomes oficiais de ruas, de acordo com o projeto de lei do vereador Antonio Thomaz (16/09). As ruas são: Avenida Morelli (atual Rio Branco), Rua Capitão João e Praça Antonio Franco (atual Conde Francisco Matarazzo).
1913-14 – Greve de canteiros nas pedreiras de Pilar e Ribeirão Pires, em protesto contra a diminuição dos salários dos trabalhadores. É a greve mais antiga registrada em Mauá, e terminou com sucesso.
1915 – Criação da Capela de São Sebastião, no Sertão dos Beber.
1917 – Criação da Capela de Nossa Senhora da Conceição, sob a iniciativa de Dona Maria de Queiroz Pedroso (a Dona Mariquinha), num terreno ocupado atualmente pelos fundos da atual Matriz. A provisão para celebrar missas foi feita pelo Padre Mario Albordanza em 21/12 daquele ano.
1919 – Criação do Pilar Futebol Clube, depois Associação Esportiva Mauá.
1920 – Inauguração do Posto Fiscal de Capuava, onde os trens paravam por um minuto (15/09).
1921 – Criação da Associação Atlética Industrial (1º/10). Seu primeiro presidente foi Manoel Pedro Junior.
1926 – A estação de Pilar tem seu nome mudado para Mauá, em homenagem ao Barão e Visconde de Mauá.
- O prefeito de São Bernardo, Cel. Saladino Cardoso Franco, assina contrato com a empresa Light and Power, para a expansão da rede de energia elétrica no município (10/02). Por isso a iluminação elétrica chega às ruas adjacentes à Estação de Mauá.
1927 – Maria Queiroz Pedroso vende 50 alqueires de suas terras para a Sociedade Auxiliadora Predial S/A, que fará o loteamento da Vila Assis Brasil (21/06).
1930 – Mauá é elevada à categoria de Distrito Policial (07/01). O primeiro subdelegado é Mario Cruz.
- Primeira agência postal de Mauá, sob a direção de Isabel Savietto.
1934 – Instituição oficial da Banda Lira de Mauá (15/06).
- Criação do Distrito de Paz de Mauá, através do Decreto Estadual Nº 6780 (18/10). A instalação se deu no dia 2 de fevereiro seguinte, com a posse de Afonso Thomaz Jr. como juiz de paz, e Arnaldo Dall’Antonia, como escrivão.
1935 – Criação de uma linha de ônibus que ligava Capuava a São Paulo, passando por Santo André, Utinga e São Caetano.
-Criação do Grupo Escolar de Mauá, numa casa de propriedade de André Magini (16/08).
- Instalação do núcleo distrital da Ação Integralista Brasileira. Seu chefe é José Joaquim Filho (15/11).
1936 – Eleição municipal: os residentes em Mauá Antonio Braga e Pedro Dell’Antonia se elegem vereadores na Câmara Municipal de São Bernardo (15/03).
1937 – Inauguração da Porcelana Mauá (11/02), a primeira fábrica de porcelana fina no Brasil.
– O Posto Fiscal de Capuava é substituído por uma estação de trem (05/03).
– Criação do primeiro cemitério de Mauá, o da Vila Vitória. Em 30 de julho é realizado o primeiro sepultamento, o de Amaro Branco da Silva.
1938 – Previsão orçamentária da Câmara Municipal de São Bernardo indicava o calçamento das ruas comerciais em torno da Estação de Mauá.
- Inauguração do Curtume Mauá.
- Decreto-lei do governador do Estado, Ademar de Barros, muda o nome do município de São Bernardo para Santo André (30/11). A mudança será oficializada em 1º/1 do ano seguinte.
- Fundação da Associação Esportiva Mauá (A. E. Mauá), em 1º de dezembro. Seu primeiro presidente foi Tercílio Tamagnini.
1940 – Criação da Capela da Juventude Operária Católica (JOC).
1943 – Inauguração da Porcelana Real.
1945 – Fundação do Independente Futebol Clube (17/04). Seu primeiro presidente foi Inocêncio Pedro.
1946 – O pintor romeno Emeric Marcier inicia seus afrescos na Capela da JOC, situada atualmente dentro da Santa Casa de Misericórdia, na Vila Assis Brasil. Terminará no ano seguinte.
- Inauguração da parte da frente da futura Igreja Matriz de Mauá (junho).
– Fundação da Sociedade Amigos do Distrito de Mauá (26/12).
1947 – O Grupo Escolar de Mauá (a “escola da paineira”) muda seu nome para Grupo Escolar Visconde de Mauá.
- O CNP (Conselho Nacional do Petróleo) autoriza o Grupo União a construir em Capuava uma refinaria de petróleo (29/08).
– Eleição municipal em Santo André: o comunista Armando Mazzo é eleito prefeito e a maior bancada de vereadores é de comunistas, entre eles estão os mauenses Enio Brancalion e Carmen Savietto (09/11). Contudo, a posse dos eleitos, que seria em 1º/1 seguinte, é impedida.
1949 – Lançamento do Jornal de Mauá: o primeiro periódico a circular em Mauá (janeiro); contudo, só foi lançado um “número experimental”. Meses depois, é lançada a Folha de Mauá, que irá durar até meados dos anos 60 (17/09).
- Inauguração do Cine Santa Cecília.
1951 – São eleitos vereadores por Mauá, na Câmara de Santo André, Elio Bernardi e Benedito Rodolfo Serff.
1952 – A partir da Sociedade Amigos de Mauá é formada a Comissão Pró-Emancipação de Mauá, que é presidida por Egmont Fink.
1953 – A Comissão Pró-Emancipação de Mauá encaminha para a Assembléia Legislativa do Estado (então localizada no Palácio das Indústrias, no Centro de São Paulo) o memorial com as assinaturas que pediam a emancipação do distrito (30/04).
- Plebiscito que decide a autonomia de Mauá e Ribeirão Pires. O “sim” vence. A votação ocorreu no Grupo Escolar Visconde de Mauá (22/11). Dias depois, contudo, o procurador geral da República Plínio Travassos declara inconstitucional a Lei Orgânica dos Municípios, que permitia as emancipações municipais, o que colocou em risco a autonomia mauaense e de outros municípios.
1954 – O Cardeal-Arcebispo de São Paulo, Dom Carlos Carmelo Vasconcelos Motta eleva à categoria de Paróquia a Igreja da Imaculada Conceição de Mauá (29/05). No mesmo dia, assume como responsável, o padre Aleksandras Venancius (Alexandre Venâncio) Arminas.
- O parecer Travassos é derrubado pelo Supremo Tribunal Federal, sendo garantida a autonomia de Mauá e vários outros municípios (08/08).
- Primeira eleição para prefeito e Câmara Municipal de Mauá. São eleitos Enio Brancalion (prefeito) e Elio Bernardi (vice-prefeito), ambos do PTB. Também são eleitos 13 vereadores (03/10).
- Inaugurada em Capuava, a Petroquímica União, primeira Refinaria de Petróleo do estado (18/12).
1955 – Posse do prefeito, do vice e da nova Câmara Municipal (1º/1).
- A Praça Senador Fláquer tem seu nome mudado para “22 de Novembro”, em homenagem aos autonomistas.
1957 – Inauguração de edifício próprio para o Grupo Escolar Visconde de Mauá, na Avenida (então rua) Santos Dumont, em terreno do Estado cedido à Prefeitura. Ali passa a funcionar o primário. No casarão da Paineira, começa a funcionar o ginásio, anteriormente inexistente na cidade.
- Fundação do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Cerâmica de Louça, Pó de Pedra, Porcelana e Louça de Barro de Mauá (07/10). Seu primeiro presidente foi Nelson Pereira dos Santos, trabalhador da Cerâmica Mauá.
1958 – Eleições municipais: são eleitos Elio Bernardi (prefeito, pelo PTB) e Guilherme Primo Vidotto (vice, pelo PSD) (03/10).
1959 – João da Rocha e Dona Isaura de Assis Rocha mudam-se de São Paulo para o Jardim Zaíra trazendo consigo a arte do samba-lenço.
– Inauguração do Cruzeiro de pedra Sagrado Coração de Jesus, na Vila Indpendência, feito pelos canteiros da cidade (03/05).
– Fundação da Associação Cultural Esportiva Nipo-Brasileira (16/07).
– Passeata promovida pela JOC (Juventude Operária Católica) nas ruas de Mauá contra a desapropriação do terreno da organização católica, onde está localizada a capela com os afrescos de Emeric Marcier (08/08).
 - A Lei Municipal Nº 267 institui o brasão municipal, elaborado pelo heraldista Salvador Thaumaturgo (20/08).
1960 – Fundação da Liga Mauaense de Futebol (09/05).
– É fundado o Sindicato dos Trabalhadores na Distribuição e Refinação de Petróleo de Mauá (agosto).
1962 – O Padre Alexandre Arminas é ordenado Monsenhor.
- Elio Bernardi renuncia à Prefeitura para concorrer ao cargo de deputado estadual (03/09). Assume como prefeito interino, o vereador Amélio Zuliani. Bernardi é eleito o primeiro representante de Mauá na Assembléia Legislativa.
- Eleições municipais: Edgard Grecco (PTB) é eleito prefeito e José Mauro (“Juca”) Lacava (PTN), vice (03/10).
1964 – Em seu famoso “Comício da Central”, no Rio de Janeiro, o presidente João Goulart declara a estatização de todas as refinarias privadas do país, inclusive a da Refinaria de Capuava (13/03). Porém, essa decisão é anulada pelo golpe militar que derruba o presidente em 31 de março. O sindicato da categoria foi fechado.
1965 – A Câmara Municipal cassa o mandato do prefeito Edgard Grecco (17/09). Assume o vice José Mauro Lacava.
1966 – Elio Bernardi é reeleito prefeito de Mauá, desta vez pela ARENA, partido de sustentação do regime militar. O vice é Américo Perrela.
1968 – Depois de uma grave crise financeira, a Porcelana Mauá encerra suas atividades.
1969 – Herbert de Souza, o Betinho, militante da Ação Popular (AP) de resistência à ditadura militar, é admitido como funcionário da Porcelana Real em 23 de julho, trabalhando até 25 de dezembro, sob nome falso.
– Américo Perrela, padeiro, é eleito prefeito de Mauá, e Leonel Damo, vice. Ambos pela ARENA (30/11).
1970 – Morre, nas dependências do DOPS em São Paulo, o militante comunista Olavo Hanssen, morador do Jardim Mauá.
- Diligências policiais contra militantes da AP no Jardim Zaíra, sendo vários detidos e torturados nas dependências do DOPS (Departamento de Ordem Política e Social), em dezembro.
1971 – Após refugiar-se em Santo André, o militante da AP Raimundo Eduardo da Silva é descoberto e torturado pela polícia até a morte (05/01).
- É formada a Associação das Donas de Casa, com atuação no Parque das Américas e Jardim Zaíra.
1972 – Inauguração da Biblioteca Municipal de Mauá, atual Biblioteca Municipal Cecília Meirelles (25/03).
– O professor Amaury Fioravanti é eleito prefeito pelo MDB, e Manoel Moreira, vice (15/11).
1974 – O Governo Federal, liderado pelo presidente Ernesto Geisel, compra a maior parte das ações da Refinaria de Capuava, tornando a Petrobrás responsável por sua administração.
1975 – Morre o Monsenhor Alexandre Venâncio Arminas (06/06).
1976 – Inauguração do Viaduto Juscelino Kubitschek, pelo prefeito Amaury Fioravanti.
- Dorival Rezende, dentista, é eleito prefeito pelo MDB. Seu vice é Éden Brazil da Paz (15/11).
- Fundação da Federação Comunitária das Sociedades Amigos de Bairro (19/12).
1977 – Depois de 13 anos, é fundado um novo sindicato dos petroleiros da cidade: a Associação dos Petroleiros de Mauá.
1981 – Fundação do Grêmio Esportivo Mauaense (15/12). Seu primeiro presidente foi o então prefeito Dorival Rezende.
1982 – Inauguração do Museu Barão de Mauá, na antiga “Casa do Barão” (6/11).
- Leonel Damo é eleito prefeito pelo PMDB. Seu vice é Manoel Moreira (15/11).
1983 – Após uma ampla campanha de reivindicações, a população consegue a abertura da Estação Guapituba (04/06).
- Morre em Santo André o ex-prefeito Dorival Rezende da Silva (13/06).
- O CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico e Turístico do Estado de São Paulo) tomba a casa bandeirista que abriga o Museu Barão de Mauá como patrimônio histórico de importância estadual (27/12).
1986 – O empresário José Carlos Grecco (PMDB) é eleito o primeiro deputado federal por Mauá (15/11). Ele faria parte da Assembléia Nacional Constituinte, que proclamaria a nova Constituição Federal de 1988.
1988 – Morre em acidente de automóvel a vereadora Lea Aparecida de Oliveira
– Amaury Fioravanti (PL) é novamente eleito prefeito, com Hélio Fioravanti Agnello como vice (15/11).
1992 – José Carlos Grecco (PMDB) é eleito prefeito, tendo Leonel Damo (PSDB) como vice.
1996 – O professor Oswaldo Dias (PT) é eleito prefeito, com Márcio Chaves como vice.
2000 – Oswaldo Dias (PT) e Leonel Damo (PSDB) são os dois candidatos mais votados no 1º turno das eleições municipais. Pela primeira vez, há um segundo turno em Mauá, sendo Dias reeleito, tendo novamente Chaves como vice.
2002 – Nas eleições para a Assembléia Legislativa, Donizete Braga (PT) é eleito o segundo deputado estadual por Mauá na História.
2004 – Imbróglio eleitoral em Mauá: em 3 de setembro, o candidato a prefeito e então vice-prefeito Márcio Chaves (PT) tem sua candidatura cassada pela Justiça Eleitoral sob acusação de uso de verba pública em campanha. A cassação é suspensa e é realizado o primeiro turno da eleição, com Chaves sendo o mais votado e Leonel Damo (PV) em segundo (04/10). Ambos concorreriam ao segundo turno. Contudo, a candidatura do PT é novamente cassada pelo TRE às vésperas do segundo turno.
2005 – O vereador Diniz Lopes (PL) é eleito Presidente da Câmara, e na vacância de prefeito, assume a Prefeitura interinamente (01/01), permanecendo no cargo até dezembro.
- Depois de sucessivos recursos, o TSE cassa definitivamente a candidatura de Márcio Chaves e Leonel Damo assume a Prefeitura, tendo Leni Walendy (PSDB), como vice (06/12).

Share on Google Plus

Sobre Alex Shinobi

Esse texto foi trazido até você pela Equipe Mauá Memória a cidade Ontem e Hoje, ajude nosso trabalho divulgando nosso site ou enviando fotos antigas, notícias da cidade e coisas que acontecem no seu bairro entre em contato: mauamemoria@gmail.com