"Menino da pipa" in memoriam "Menino da pipa" in memoriam | Mauá Memória, história e Cultura


"O Menino da Pipa" Obra do grande artista plástico Laurindo Cid.

Laurindo Cid, ou Simplesmente L.Cid é um artista com ligação extrema com o vale paraibano, Aos 47 anos carrega uma bagagem invejável que vai da repercussão do trabalho artístico ao papel de gerenciador de projeto sociais.
Sua ligação com o vale paraibano se dá, sobretudo na década de 70, quando ainda jovem se engajou no trabalho artístico com grupos de teatro, programação visual e produções das mais diferentes linguagens artísticas.
Seu currículo está intimamente ligado a Instituições como SESC, Fundação Cassiano Ricardo (da qual tem participação preponderante na luta para sua criação) e Prefeituras Municipais como: Taubaté, Paraibuna, São Paulo, Jacareí e Mauá no grande abc. Nesta última coordenou diversos projetos e produções de lazer e cultura, além de interferir urbanisticamente na cidade com grandes totens, painéis e ladrilhos em formato de mosaico que contam a história daquela gente.
Além de seus atributos artísticos como artista plástico, produtor, ilustrador e cenógrafo; L. Cid tem uma preocupação social clara: a formação do homem integral e sonha com leveza do ser, sobretudo no mundo dos mais vulneráveis socialmente e neste sentido, desde 20 anos juntos ao Espaço Cultural ATOKA e CASA TEATRO JOÃO GIRASSOL na cidade de Jacareí, vem construindo “as utopias da paz” – a definição de um sonho possível – através de seus projetos para crianças, adolescentes e comunidade como um todo através de vivências de teatro e dança, artesanato em papel, madeira e tecidos que compõem o projeto economia solidária, entre tantas outras que funcionam regularmente nos dois espaços.
Uma particularidade do artista e humanitário é a casa teatro João girassol: peixes ornamentais, plantas diversas, teatro alternativo, brinquedoteca, tudo feito com aproveitamento de resíduos sólidos – o que ilustra sua vocação e preocupação com o meio ambiente – um lugar encantador que poderíamos chamar de um planeta/ mundo à parte do ecossistema em que se vive.

O currículo de L. Cid, que viajou diversos países da América latina e Europa que conviveu com os mais famigerados artistas, educadores, escritores e se refugiou no vale do Paraíba e não cabe numa página só, mas há sempre que se fazer uma tentativa em comunicar ao mundo algo dele e alguma coisa do que já fez e vem fazendo na nossa sociedade.
fonte: Casa Teatro João Girassol

Ficha técnica da obra

Concepção e coordenação:Laurindo Cid
Serralheria artística: Sr Waldir
Execução de mosaicos do pedestal: Reginaldo de Andrade Venâncio.
Auxiliares: Sergio Rolim e Wesley.
As esculturas foram construídas ocas e seu interior completados com cacos de porcelana cedidos pela porcelana Schmidt, Também foram usadas no pedestal pecas da Porcelana Kojima.
Essa obra era um ato concreto em homenagem a um menino Anderson que morreu na Vila Magine. Filho da professora Fátima Santana, o garoto faleceu ao cair de uma laje onde soltava pipa.
de 1997 a 2004 aconteceram no dia 7 de setembro festival de pipas com campanha de segurança. Idealizados pela professora Fátima. e realizados pelo setor de lazer
As Esculturas foram inauguradas no dia 7 de setembro de 2004

Em 2012, Edson Bueno de Camargo, postou essas imagens no grupo Mauá Memória, uma triste perda para cidade foi a destruição desse belo monumento e sem sentido algum foi feita essa demolição já que ele ficava na esquina da antiga Casa da Juventude na época,  Edson até comentou: "ela ficava no começo da Avenida Dom José Gaspar, por uma questão muito emblemática, no mesmo terreno da caixa d'água da ferrovia que também foi demolida."
Edson Bueno de Camargo: "é justamente esta, foi destruída e transformada em sucata."
Edson Bueno de Camargo: "O certo é que foi esquecido, só quis mostrar que era uma obra de arte bonita, e que a cidade perdeu com isso."
Obra produzida para comemorar os 50 anos da cidade de Mauá, que virou sucata, confiram as imagens, você se lembra? comente