INSCREVA-SE JÁ NO NOSSO CANAL



No último dia 28 de janeiro, aconteceu a 33ª edição do Prêmio Ângelo Agostini, a maior festa de celebração do quadrinho nacional. Eu, que acompanho o evento à mais de 10 anos, notei que o público tem crescido a cada ano. Foi um momento feliz ver tantas pessoas, entre profissionais do meio e fãs da nona arte.

Como tem ocorrido nos últimos anos, a festa foi na biblioteca do Memorial da América Latina, e teve uma belíssima exposição de quadrinhos argentinos. Pra quem não conhece o que é feito em nosso país irmão, é bastante interessante ver páginas com artes de estilos variados que infelizmente não chegam até nós. Teve até um bate papo que contou com César Carrizo como convidado vindo da Argentina exclusivamente para o evento.


Outra parte importante do evento foi a mesa de quadrinhos, que também estava muito maior que a do ano passado, com mais artistas e títulos.  Junto com os independentes, havia a mesa da Editora Criativo, com seus livros teóricos sobre HQ, e a bela coleção de livros “Sketchbook Custom”, que conta com os maiores nomes dos quadrinhos do país, com ilustrações e rascunhos à lápis e na tinta. Um item que todo fã que também faz HQ vai adorar colecionar.

Outro momento especial foi o sorteio de ates originais. E a exibição do documentário de Marcio Baraldi sobe Rodolfo Zalla, mestre falecido em 2016.

Pra nós que somos da região do ABC, os destaques do evento foram as premiações de Alex Mir, roteirista de Mauá, que pela segunda vez leva o prêmio como Melhor Roteirista (por “Segundo Tempo”, lançado pela editora Draco), e as fanzineiras Thina Curtis e Fabi Menassi (por seu zine “Café Ilustrado”). E este que voz escreve, que estava com gibis à venda na mesa de quadrinhos.
OS PREMIADOS:
Melhor desenhista: Mariana Cagnin ("Black Silence")
Melhor roteirista: Alex Mir ("Segundo tempo", editora Draco)
Melhor cartunista: Guabiras (Jornal O povo - Fortaleza CE)
Melhor lançamento: "Spectrus, paralisia do sono" (Thiago Spyked, Ed. Crás)
Melhor lançamento independente: "Protocolo, a ordem" (vários autores)
Melhor WEB Quadrinho: "Marco e seus amigos" (Tako X e Alessandra Freitas)
Melhor Fanzine: "Café ilustrado" (Thina Curtis e Fabi Menassi)
Prêmio Jayme Cortez: Ivan Freitas Da Costa (Chiaroscuro Studios)
Mestres: Arthur Garcia, Gualberto Costa, Sérgio Graciano e Sidnei L. Salustre

Bem, agora é aguardar pelo ano que vem, pra celebrar novamente o Dia do Quadrinho Nacional!






Postar um comentário