720


Foto da casa durante o incêndio, enviada via whattsapp para nossa redação.


O povo de Mauá acordou com a triste notícia nesta segunda feira dia 01/02 do incêndio da Casa dos Emancipadores da cidade,  Este imóvel é de grande relevância para a cidade de Mauá e seus habitantes, pois está intimamente ligado às nossas origens, uma vez que foi palco do Movimento Emancipacionista de nosso município e está em vias de ser reformado graças a um recurso que foi conseguido pela Secretaria de Cultura na gestão anterior e finalmente se transformará numa Casa de Cultura no centro de Mauá.

Até agora não se sabem as causas do incêndio no local, mas já foi aberto um boletim de ocorrência para apurar o fato, já que a casa estava abandonada há décadas e segundo fomos informados há alguns dias  moradores de rua estavam utilizando a casa como moradia noturna e de dia passando pelo local olhando pela rua dava pra notar algumas roupas penduradas na grade interna segundo transeuntes.    

Segundo fontes a casa não foi tão prejudicada apesar da fumaça e só a estrutura de madeira foi danificada pelo incêndio.   

Esperamos que o atual prefeito de Mauá que se comprometeu em preservar a história da cidade incie logo a reforma da casa para que cenas como essa não ocorram mais, essa casa é memória viva da cidade de Mauá e tem que ser restaurada o mais breve possível.

Alex Ferreira

Foto da casa após o incêndio, enviada via whattsapp para nossa redação.



Confira algumas matérias sobre a Casa Emancipacionista nos ultimos anos:

A Casa Emancipacionista e a Casa de Cultura  texto escrito por Edson Bueno de Camargo em 2011:

A população e os artistas da cidade de Mauá vem solicitar que o imóvel pertencente à municipalidade, sito na Praça 22 de Novembro, centro, seja transformado em uma Casa de Cultura, ou possível Arquivo Municipal.

Este imóvel é de grande relevância para a cidade de Mauá e seus habitantes, pois está intimamente ligado às nossas origens, uma vez que foi palco do Movimento Emancipacionista de nosso município.

Guarda ainda grande importância arquitetônica e afetiva, pois poucos imóveis de sua época continuam existindo em nossa cidade e mesmo em nossa região. Grandes projetos arquitetônicos costumam ser marcas de uma época, porém aquilo que o povo imprimiu ao erguer seus lares, acaba sendo esquecido e, muitas vezes, vilipendiado, tornando fácil a negação da importância desses espaços, como referencial de nosso cotidiano.

Nossa cidade já foi vítima da dilapidação de sua identidade quando, por interesses econômicos, foi demolida a Escola da paineira, antigo Grupo Escolar Visconde de Mauá e a própria Praça 22 de Novembro, em seu projeto original. Recentemente ocorreu a destruição da casa que pertenceu ao empresário José Cândido Cerqueira Leite, em cujo interior havia o mural em afresco de Fulvio Pennachi. Desta forma precisamos resgatar esse imóvel para garantirmos sua preservação.

O Museu e Casa de Cultura Barão de Mauá pertence a um período da História do Brasil, enquanto que a Casa Emancipacionista pode ser vista como um registro de nascimento, em alvenaria, de nossa cidade, uma vez que as reuniões e os documentos em prol da emancipação foram ali produzidos.

Sua localização em muito favoreceria o acesso das pessoas a um espaço cultural, uma vez que a grande maioria de nossa população passa todos os dias pela Praça 22 de Novembro. Essa acessibilidade tornaria esse espaço democrático, trazendo atividades culturais e resgate da memória, mais próximos dos moradores de nossa cidade.

É sabido o quão importante é mantermos nossa memória de luta e de conquista de autonomia de nosso município, para mostrarmos à população que temos uma identidade e que esta deve ser preservada, através desse imóvel, como patrimônio cultural.

Transformá-lo em uma Casa de Cultura do Movimento Emancipacionista, viria trazer à luz, um passado de luta, que muitas vezes, fica esquecido, mas que necessita ser resgatado, para auxiliar o aumento da auto-estima de nossa população, pois quando conhecemos e entendemos o passado, conseguimos tomar as rédeas do futuro, tornando o exercício de cidadania amplo e pleno.








Carta de Gecimar Evangelista - Palavra do Leitor - Diário do Grande ABC - 23 de dezembro de 2011


Fonte: Jornal Mauá em Notícias

Para conhecer mais sobre a Emancipação de Mauá:









Postar um comentário